Herois do Olimpo RPG

Fórum de Mitologia Grega baseado em Percy Jackson e os Olimpianos e Os Heróis do Olimpo!

Autores nos tópicos

Dom 2 Jul 2017 - 20:55 por Ártemis

Autores nos tópicos

Recentemente adicionei em todos as postagens do tópico de Tutoriais e Guias bem como
o tópico da Biblioteca o nome de quem fez, quem ajudou a fazer, quem editou (boa parte do conteúdo), e quem ajudou com a ideia.

Assim temos uma visão mais clara de pessoas que, apesar de a maioria não saber, ajudaram com o crescimento e evolução do fórum.

Lembrando que todo o conteúdo criado para o fórum é de autoria do mesmo. Todo "direito autoral" que estabelecemos aqui é de Rick Riordan, o criador das séries Percy Jackson e Os Heróis do Olimpo.


Comentários: 0

EVENTO DOUBLE ALEGRIA DE FÉRIAS

Ter 27 Jun 2017 - 14:28 por Selene

Evento Double Alegria de férias



Evento válido do dia 01/07/2017 até 15/07/2017


Férias de Julho chegando e nada melhor do que um evento double pra levantar os ânimos do fórum. Chamem seus amigos e desfrutem do evento
DOUBLE ITENS, EXP e DRACMAS





Comentários: 1

Problemas com as contas Olimpianas

Dom 8 Jan 2017 - 13:29 por Quíron

Olá Olimpianos.

Depois de um backup feito no fórum os direitos de administrador de todos os olimpianos foram retirados automaticamente pela Forumeiros. A princípio é para esse erro já ter sido corrigido, se algum Olimpiano ainda estiver com problemas mande mp ou fale comigo no Facebook: https://www.facebook.com/paulohenrique.morais.9

Desculpe o transtorno, Quiron.


Comentários: 0

Vagas de Deuses Menores!

Sab 17 Dez 2016 - 21:20 por Poseidon


Temos vagas!


Final do ano, férias escolares, fórum ativo. Sabem o que isso significa? Sim, estamos precisando de narradores! Sempre quis narrar para seus amiguinhos mas nunca soube como? Pois bem! Siga os passos a seguir e junte-se à equipe!

Perguntas:


Qualquer um pode ser Deus menor?

Sim, mas devem seguir alguns critérios:
1. Estar no fórum a mais de 1 semana
2. Ter noção de narração e combate
3. Saber tudo que tem no Tutorial de combates, rodadas e turnos


Como eu faço para ser Deus?

Mante um MP (Mensagem Privada) para mim, Poseidon, e eu negociarei os cargos com quem estiver interessado.


Mas eu quero ser Olimpiano, como faz?

Primeiramente, todos deveram começar …


Comentários: 0


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

 » Acampamentos » Acampamento Meio-Sangue » A Fogueira » 

Ir à página : Anterior  1 ... 31 ... 58, 59, 60, 61, 62  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 59 de 62]

Re: A Fogueira

por Alexia M. Roncoleta em Sex 23 Set 2016 - 12:21

Alexia M. Roncoleta

avatar
Filho(a) de Afrodite
Filho(a) de Afrodite
Ver perfil do usuário
A fogueira parecia quente, o seu calor me chamava. Fui ate ela, podia sentir minha pele se esquentar.
Todos ali diziam que os Deuses ouviam suas preses, que os Deuses ouviam seus filhos. Meus olhos se afundavam em desgosto. E se comigo fosse diferente? Segurei o choro, eu não podia chorar. Demonstrar emoções em publico era para os fracos.
Respirei fundo e repensei em minhas palavras, como havia feito antes.
-OH DEUSA AFRODITE -parei, aquilo não ia dar nada certo.
"Acalme-se Alexia, assim ela vai te ignorar...isso sim! Com toda auto-confiaça que você treinou durante todo esse tempo nos mortais." pensei. Respirei fundo, mantendo minha mente em paz, reverencia-la de acordo.
-Mãe, sei que esta muito ocupada mas venho ate você para pedir que me reclame como sua filha. - respirei fundo novamente, parecia tão bobo falar com ela por uma fogueira. Mais continuei. -Sei que como Deusa do amor, persuasão, charme, entre outras coisinhas mais.....-tentei não rir -Bom, esse agora e o meu lar, mãe....e não posso voltar atrás. Então só te peço que me ajude a ir pra frente. Obrigado por me ouvir, mesmo sem falar comigo direito. Se possivel, por favor só me mande um sinal, okay!?
O silencio mortal continuou, não era como se a fogueira pudesse me ouvir.
Ficha:
Presente:
Anel de Rosa

#581

Re: A Fogueira

por Conrado Went em Seg 26 Set 2016 - 22:29

Conrado Went

avatar
Filho(a) de Afrodite
Filho(a) de Afrodite
Ver perfil do usuário
Gostaria de ser reclamado como filho de Afrodite
E como presente gostaria do chicote
Vlw



#582

Re: A Fogueira

por Michael Murray em Qua 12 Out 2016 - 18:44

Michael Murray

avatar
Filho(a) de Ares
Filho(a) de Ares
Ver perfil do usuário
Não demoraram muito para descobrir de quem eu era filho, mas mesmo assim resolvo ir à fogueira sozinho e me ajoelho.

- Se você for mesmo meu pai, me dê um sinal agora. Pretendo honrá-lo nessa nova casa, então me ajude a traçar meu caminho, na medida do possível, Ares.

Presente: Lança Curta[Elétrica]

#583

Re: A Fogueira

por Natalie Hills em Sex 14 Out 2016 - 0:07

Natalie Hills

avatar
Filho(a) de Deméter
Filho(a) de Deméter
Ver perfil do usuário
Filha de Deméter, presente: Foice [Bronze Celestial][Comum]



#584

Re: A Fogueira

por Daniel Β Lian em Dom 16 Out 2016 - 21:03

Daniel Β Lian

avatar
Filho(a) de Phobos
Filho(a) de Phobos
Ver perfil do usuário
Ser abandonado por sua família no Acampamento Meio Sangue não era uma experiência muito boa.
Lian evitava ao máximo tentar se enturmar simplesmente porque só via futilidade na maioria dos jovens que ali estavam. Se achava bom demais para eles. Bom demais para tentar se misturar. Procurava assim ficar mais só, e só se envolvia em ocasiões onde não havia outro jeito.
O fato de não ter um pai fazia Lian se sentir rebaixado perante aqueles jovens. Porque o pai deles haviam aparecidos, e para ele não?! O que eles tinham que Lian não tinha?! Não sabia responder.

Aquela era a primeira noite que iria passar ali, e por todos estarem na fogueira, ele decidiu ir também.
Durante o dia o chalé de Hermes era absurdamente cheio. Alguns fediam a suor de treinamento. Lian teria que dormir lá, visto que seu pai não apareceria de uma noite para outra.
Vestiu seu sobretudo Lusi sobre a camiseta e seguiu para a fogueira. Ao chegar, se assentou em um tronco velho e seco.

Enquanto observava os outros, Lian percebeu que alguns semideuses se ajoelhavam e pediam as coisas aos deuses. Ele não conhecia essa prática, mas enquanto fitava o fogo, resolveu aderir.
-Então... Cara. Acredito que não ligue muito pra mim. Deixou que minha mãe sumisse semanas depois do meu nascimento e bem... Aqui estamos nós. Dezenove anos e nenhum sinal. Não irei me colocar de joelhos, afinal conhece o filho que tem. Então se decidir me salvar daquele chalé deprimente e me deixar fazer algo em seu nome... Estou aqui.

Quando acabou, Lian se sentia patético. Decidiu ficar lá mais alguns minutos. A chama aquecia seu corpo e o fogo o mantinha hipnotizado, evitando que ele percebesse o que acontecia ao seu redor.
Lian só conseguia pensar em uma coisa enquanto olhava as chamas: Phobos

Item: Lança [Curta]

Ficha:




♞ Chegou a galera serelepe  
Nosa jureg
#585

Re: A Fogueira

por Enrico Díaz em Seg 17 Out 2016 - 0:03

Enrico Díaz

avatar
Filho(a) de Apolo
Filho(a) de Apolo
Ver perfil do usuário
Minha vida havia mudado drasticamente. Sequer sabia o que iria acontecer, apenas que no fim das contas eu era um semideus. Eu sei, loucura pensar isso. Admito que minha cabeça ainda estava meio bagunçada pelos acontecimentos anteriores, ser atacado por uma Empousa, descobrir minha ascendência e sair de casa com desconhecidos, até chegar a um local cheio de pessoas que eu nem imaginavam quem eram.

De qualquer maneira, eu ainda precisaria ser reclamado como filho de Apolo, o deus de quem minha mãe falou que eu era filho. Se parasse para pensar bem, um deus e uma garçonete não era uma combinação óbvia. Para tal reclamação, eu necessitava ir até uma fogueira e fazer uma pequena prece, para que o senhor do Sol me considerasse como filho e eu pudesse ganhar alguns presentes, que me ajudariam no decorrer de minha vida como campista.

— Bem, estamos aqui não é mesmo? — indaguei em um sussurro, em frente aquela enorme fogueira, cercada de semideuses. — Apolo... Não sei se devo te chamar de pai. Sou filho de Marina Díaz, uma garçonete de Nova Jersey, não sei se vai lembrar dela. Bem, espero que me reclame pelo seu filho, acho que não tenho muito o que dizer, provavelmente não tenho uma história tão boa intrigante quanto a de meus companheiros semideuses, mas com certeza vou me esforçar para lhe dar orgulho. Afinal, se sou realmente seu filho, nasci para brilhar. — finalizei, com um sorriso na face, ao tempo em que coçava detrás da cabeça.

Item Escolhido: Arco Curto, Lira, Aljava de Couro e Flechas de Bronze Celestial [20 Unidades]

Ficha:







My smile shines brighter than the sun

#586

Re: A Fogueira

por Craig Mason em Seg 17 Out 2016 - 5:35

Craig Mason

avatar
Filho(a) de Ares
Filho(a) de Ares
Ver perfil do usuário
Confuso, ferido, praticamente morto. Seu ombro ainda estava dolorido, mesmo tratado e se passando três dias, disseram-lhe que ele deveria visitar a fogueira. Craig não entendia absolutamente nada daquele lugar, havia visto homens com pernas de animal, com chifres, seres completamente diferentes formado por algo que nem mesmo ele sabia. Apesar disso, haviam pessoas "normais" como ele, e foi a própria que a ajudou na noite de seu acidente que lhe deu assistência na enfermaria.

-- E aí, cara? Tá melhor? -- Perguntou ao vê-lo acordar pela segunda vez no dia, ainda com dificuldades para movimentar o ombro. Seu rosto demonstrava pouca preocupação e muita desconfiança. Mason lembrava-se dela na noite em que foi achado e de uma outra pessoa, os dois poderiam ter revirado o carro e encontrado o corpo do traficante inimigo.

-- Um pouco de dor de cabeça e no corpo. -- Observou o movimento na enfermaria, bodes humanos passando por cada cama. -- Eu ainda não entendi como parei aqui.

-- Com o tempo você entende. Precisamos saber se na noite em que se acidentou, você viu alguma luz na sua cabeça, alguma imagem? Qualquer sinal anormal.

Confuso, lembrou-se do javali que apareceu em cima da própria cabeça após matar o inimigo.

-- Um.. javali. E duas lanças... só me lembro disso. Posso ter confundindo, a luz era vermelha, muito forte.

Ela se manteve em silêncio por alguns minutos e, após conversar com um rapaz de cabelos grisalhos, contou a Mason tudo sobre os deuses. Aquele era o Acampamento Meio-Sangue, ele era um semideus filho de Ares, deus da guerra e que, por mais difícil de aceitar, aquela era a realidade. Mesmo confuso, as peças se encaixavam na cabeça de Craig. Foi sugerido a ele que, antes do anoitecer, aparecesse na fogueira e reclamasse pelo reconhecimento do deus. E foi o que fez, mesmo achando aquilo uma besteira, afinal nunca havia rezado para deus nenhum antes.

-- Só pode ser brincadeira... -- Observou a grande fogueira e percebeu alguns semideuses o olhando. Ao contrário de alguns, se manteve em pé e pensou em algo para começar. -- Ares, não te conheço e apesar disso, você é meu pai. Minha mãe era uma prostituta no Brooklyn, você provavelmente não se lembra, Margaret Mason... ou Maggie, na rua. Me reclame se quiser, não me importo.  


Presente: Lança curta [Elétrica]

Ficha:

#587

Re: A Fogueira

por Alitzah LeBlanc em Ter 18 Out 2016 - 16:18

Alitzah LeBlanc

avatar
Filho(a) de Ares
Filho(a) de Ares
Ver perfil do usuário
O Pedido


Estava totalmente irritada. Toda a minha vida vivi uma mentira, fui enganada pelas pessoas em quem mais confiei. De braços cruzados, apenas assisto enquanto os outros semideuses vão de encontro a fogueira, ajoelhando-se e fazendo orações a seus pais e mães que não dão a mínima para eles. Isso é ridículo mas Quíron me disse que os semideuses deveriam fazer isso para ser reconhecidos por seus pais. Então eu respirei fundo, peguei um pedaço de carne e lancei na fogueira como oferenda. Em seguida me apoiei sobre o joelho direito, deixando o outro dobrado e inclinei a cabeça para frente.

— "Isso é ridículo..." - pensei, levando a mão ao rosto. — É isso que você quer? Tudo bem. Obrigada por me abandonar com minha mãe e Vincent. Ele foi um ótimo pai, coisa que você nunca será. - percebo que com minha afirmação, o fogo aumenta e sinto um brado dentro de mim, como se fosse repreendida. — Entendi, não gosta que falem a verdade na sua cara, não é? Deve ser difícil lidar com críticas sendo um deus. Enfim... Voltando para a oração. - pauso respirando fundo novamente e fecho os olhos. — Continuo achando uma ideia idiota estar aqui, mas eu sempre percebi sua presença na minha vida, principalmente quando eu ficava com raiva. Como se uma chama se acendesse dentro do meu peito, é assim que eu me sinto quando ouço a sua voz. - minhas palavras fluem enquanto cerro os punhos. Apesar de irritada, não posso negar a verdade. — Ares, quero que me reconheça como sua filha e me ensine a ser mais forte. Isso... Isso é tudo. - levanto rapidamente como se saísse de um transe e passo o dorso da mão pelo rosto, sentindo meus olhos marejarem enquanto olho para a fogueira. — Merde... - resmungo com um tom mal-humorado.

Presente: Kukri
Ficha: Clique Aqui



L'essentiel est invisible pour les yeux
ALITZAH LEBLANC
thanks to Larissa
#588

RE: A FOGUEIRA

por Percy Kiolerem em Sab 22 Out 2016 - 21:15
Ver perfil do usuário
Eu odiava ficar no chalé de Hermes, poque eu sabia que aquele não era o meu lugar, então quando todos estavam dormindo eu saí escondido e fui até a fogueira.
Cheguei lá e disse:
-Hécate, Hécate, Hécate me responda por favor, eu sou seu filho? Eu,sinto que sou seu filho hécate, me reconheça mãe por favor!
então eu me levantei e fui pra meu chalé(que na verdade não era meu)

presente:anel de serpente.



eeeeeeeeeeetaaaaaaaaaaaaa
#589

Re: A Fogueira

por Rómulo González em Qui 27 Out 2016 - 11:29

Rómulo González

avatar
Filho(a) de Marte
Filho(a) de Marte
Ver perfil do usuário
Tive poucomtempo para entender como tudo se passava ao meu redor. Todas as coisas foram sendo atropeladas umas pelas outras. Deuses, monstros, mitologia grega...Eu tinha algumas informações sobre essas coisas, mas nada que me fizesse acreditar que eu fazia parte delas.

No meio de todo aquele atropelamento de fatos, o mais importante parecia jazido embaixo de um pneu, ensanguentado e desfalecido. Minha mãe morrera. Morrera para me salvar. Morrera porque ao invés de fugir como ela havia me pedido, eu tinha sido estupido o suficiente para encarar um monstro desses que me diziam serem reais com as mãos nuas.

Acho que isso que chamavam de coragem nos tempos antigos. Eu também concordaria há dois dias atrás, mas agora? Agora tudo me parecia estupidez.

O chalé de Hermes era cheio, bagunçado e perigoso. Provavelmente eu deveria comoará-lo aos lares de menores, que na verdade eram uma espécie de escola de criminosos. Talvez eu tivesse gostado da confusão, ou talvez tivesse me interessado por um deles, mas a imagem da minha mãe caída na calçada ainda estava viva demais para que eu pensasse em qualquer outra coisa.

— Ei...Vamos! Hoje tem fogueira! — Disse um dos campistas de Hermes, da qual eu mal lembrava os traços do rosto,maquiando mais o nome.

No geral eu era uma pessoa pró-ativa e empolgada com eventos importantes, mas não estava me sentindo particularmente muito bem naquele momento, a vontade de gritar ainda muito vívida dentro da minha garganta.

Só muito tempo depois eu percebi que havia tomado banho e me arrumado e seguia, junto com a multidão de garotos para a tal "Fogueira". As chamas bruxuleantes dançavam conforme os cânticos se seguiam animados, eu mesmo estava sendo um pouco contagiado pela cantoria.

Comecei a ver alguns símbolos brilhando, pessoas sendo reconhecidas por seus is divinos, ao menos foi o que me disseram, mas eu não sabia quem era meu pai. Eu e minha mãe nunca conversávamos sobre esse assunto. Ela sempre dizia: "Um guerreiro selvagem" e ria, como se pudesse reviver os momentos bons, que nunca compartilhava comigo. Eu a ouvirá dizer Ares em sua oração de socorro, quando lançou a carta, mas não podia saber se era ele ou não, mas meio que fazia sentido na minha cabeça, explicaria muita coisa sobre meu comportamento.

"Ares, se você for mesmo o meu pai, não preciso que me mime, ou que me explique porque não apareceu ali para nos salvar, o que está feito, está feito, mas, se for mesmo você, me dê poder! Poder para nunca mais me sentir tão impotente como me senti, poder para destruir quem se impor no meu caminho, poder para nunca mais, nunca mais, perder ninguém como perdi. E eu prometo, prometo, que não vou desistir até que todos esses malditos monstros estejam debaixo dos meus pés, vou lutar até o último deles. Não vou deixar que nenhum deles escape, vou serví-los num banquete de punhos todos os dias para você"

Minha oração foi cheia de raiva, ódio e frustração, liberando todo o sentimento que vinha guardando e, enfim, sepultando minha mãe, dando como um fatídico acidente que não tinha mais volta, entregando a ele a alma dela, pois mesmo sendo uma modelo, foi corajosa o suficiente para se impor entre uma criatura selvagem como um ciclope para proteger seu próprio filho.

Não havia lágrima em meus olhos, não havia dor em meu coração, apenas o desejo de destruir. Destruir.

Arma desejada:
Lança curta

Ficha:

#590

Re: A Fogueira

por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado


#591

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 59 de 62]

Ir à página : Anterior  1 ... 31 ... 58, 59, 60, 61, 62  Seguinte

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum